Por quanto tempo seu filho fica na frente das telas?

Por quanto tempo seu filho fica na frente das telas
NAPE

Por quanto tempo seu filho fica na frente das telas?

Manual de Orientação sobre o uso de telas por crianças e adolescentes: #MenosTelas #MaisSaúde

A Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) divulgou em 11 de fevereiro de 2021, o Manual de Orientação #MenosTelas #MaisSaúde, que oferece a pais e responsáveis orientações sobre o uso de telas e internet por crianças e adolescentes.

Entre as orientações, estão evitar a exposição de crianças com menos de dois anos às telas, mesmo que passivamente; limitar em até uma hora por dia o consumo de telas por crianças de dois a cinco anos; em até duas horas por dia por crianças entre seis e 10 anos; e em até três horas por o uso de telas e jogos de videogames por crianças e adolescentes entre 11 e 18 anos.

Uma pesquisa realizada pela TIC Kids Online – Brasil (2018), realizada pelo Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.br), evidencia que 86% das crianças e adolescentes brasileiros entre 9 e 17 anos estão conectados, o que corresponde a 24,3 milhões de usuários da internet.

O levantamento apresentou que 20% dos participantes relataram contato com conteúdos sensíveis sobre alimentação ou sono; 16% com formas de machucar a si mesmo; 14% com fontes que informam sobre modos de cometer suicídio; 11% com relatos sobre experiências com o uso de drogas. Ademais, cerca de 26% foram tratados de forma ofensiva na internet (discriminação ou cyberbullying); e 16% relataram acesso a imagens ou vídeos de conteúdo sexual. Outros 25% assumiram não conseguir controlar o tempo de uso, mesmo tentando passar menos tempo na internet.

Conforme o Manual da SBP, as novas mídias preenchem vácuos – ócio, tédio, necessidade de entretenimento, abandono afetivo ou mesmo pais “ultraocupados”, muitas vezes, com seus próprios celulares. Os riscos apresentados à saúde de crianças e adolescentes que usam telas em excesso, pode ir desde problemas de saúde mental: irritabilidade, ansiedade e depressão; Transtornos do déficit de atenção e hiperatividade (TDAH); Transtornos do sono e de alimentação; sedentarismo e falta de prática de exercícios físicos, até mesmo em comportamentos autolesivos, indução e riscos de suicídio, entre outros.

O Manual da SBP, faz recomendações preventivas, tais como:

A publicação destaca ainda a importância de pais e responsáveis estarem atentos à classificação indicativa, promovida pelo Ministério da Justiça e Cidadania, onde estão acessíveis para consultas sobre quais games, filmes, vídeos e outros conteúdos são – ou não – recomendados, de acordo com a idade e a compreensão das crianças e adolescentes.

https://www.sbp.com.br/fileadmin/user_upload/_22246c-ManOrient_-__MenosTelas__MaisSaude.pdf

https://cetic.br/pesquisa/kids-online/#anos-anteriores

Quer mais informações sobre o Colégio InediTec?

E cadastre o seu e-mail